More

    Inadimplência atinge 25% das famílias paulistanas em janeiro, aponta FecomercioSP

    spot_imgspot_img

    Em um ano, 200 mil lares entraram na inadimplência ao deixarem de pagar contas na data de vencimento, aponta FecomercioSP

    Em janeiro, a inadimplência entre as famílias que moram na cidade de São Paulo chegou a 25%, número um pouco menor do que registrado em dezembro de 2022 (25,5%). Apesar da melhora mensal, o porcentual registrado no primeiro mês do ano está acima dos 20,3% vistos no mesmo período do ano passado representando aumento absoluto de quase 200 mil famílias com compromissos não quitados na data do vencimento.
     
    Os dados são da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC), elaborada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). Dentre os lares da capital paulista, 10% afirmam não ter condições de arcar com os valores. Este dado representa 405 mil famílias nesta situação – o segundo maior nível da série história, iniciada em 2010. Para o grupo com renda inferior a 10 salários mínimos, o número dos que dizem não ter condições de pagar foi o maior da série, totalizando 13,5%.
     
    Cartão lidera as dívidas
    A PEIC também aponta que 73,1% das famílias paulistanas iniciaram o ano com algum tipo de dívida. São 2,95 milhões de lares compromissados com alguma modalidade de crédito. Vale ressaltar que dívida não necessariamente está atrasada. O cartão de crédito segue no topo da lista dos tipos de dívidas dos consumidores da cidade de São Paulo, citado por 82,7% das famílias. Em seguida, os carnês, com 16,2%; o financiamento de carro (12,6%); e o financiamento de casa (10,5%). O levantamento aponta também que 19% dos consumidores afirmam que o PIX foi a forma de pagamento mais vantajosa das compras. Há um ano, este porcentual era de 5,5%.
     
    Consumidores mais otimistas
    O cenário de condições econômicas está mais favorável às famílias paulistanas. Outra pesquisa da FecomercioSP, o índice de Intenção de Consumo das Famílias (ICF), registrou novo aumento em janeiro, de 3,1%. No contraponto anual, a alta foi ainda mais significativa (34,3%).
     
    O Índice de Confiança do Consumidor, o ICC, outra pesquisa de confiança da Entidade, também seguiu na linha positiva e apontou crescimento de 2,1% em janeiro. Para a FecomercioSP, começar o ano com indicativos positivos para o bolso do consumidor traz ânimo à economia e aos empresários do comércio.
     

    Recentes

    Quer receber mais conteúdos como esse?

    Você pode gostar