More

    ERP centraliza informações, analisa dados e transforma a rotina de empresas no setor de varejo

    spot_imgspot_img

    Funcionalidades vão além da gestão e impactam a estratégia de venda do varejo com informações em tempo real

    O uso do ERP, ou sistema de gestão empresarial integrado, já está consolidado no varejo; entretanto, com o passar dos anos, a tecnologia oferece mais e novos recursos que vêm modificando o comportamento das vendas. Muito mais do que gestão, hoje o ERP fornece KPIs em tempo real, controle de lojas próprias e franquias, visão 360º do negócio, integração com API, entre outras ferramentas que ajudam a planejar estratégias, conquistar e reter clientes.

    O setor de varejo sempre foi dinâmico e altamente competitivo, e as lojas que conseguem se destacar são aquelas que adotam tecnologias inovadoras capazes de otimizar processos, aumentar a eficiência operacional e melhorar a experiência do cliente baseada em dados, pois, dessa forma, a estratégia é mais certeira. É nesse contexto que o ERP se mostra como uma verdadeira peça-chave para o sucesso das companhias.

    De acordo com William Santos, diretor comercial da VarejOnline, empresa especializada em tecnologia para gestão de lojas, franquias e pontos de venda (PDV), a inovação tecnológica é uma aliada indispensável para a relevância do setor, e a busca por soluções cada vez mais integradas e eficientes será uma constante no mercado varejista.

    “A implementação do ERP nos processos proporcionou uma série de diferenciais competitivos que revolucionaram o modo como essas empresas operam. Hoje, elas estão preparadas para o mercado inovador do presente e estão equipadas para as dinâmicas que o futuro pode trazer ao comércio”, afirma o executivo.

    A seguir, William lista algumas das maiores vantagens do uso do ERP para a gestão do varejo. Confira:

    1. Centralização de informações

    Um dos principais benefícios do ERP é a possibilidade de centralizar todos os dados da empresa em uma única plataforma. Se for uma ferramenta mais completa, de acordo com a estratégia da empresa, é possível abranger todos os canais de venda: lojas próprias da marca, franquias da rede ou licenciadas, seja online ou físico. Dessa forma, é possível avaliar informações sobre estoque, vendas, compras, até finanças e recursos humanos em tempo real, facilitando a tomada de decisões com base em dados precisos e atualizados.

    2. Otimização de processos

    Com a automação de tarefas e fluxos de trabalho integrados, o ERP permite que os colaboradores das lojas se concentrem menos em tarefas operacionais repetitivas e mais em atividades estratégicas. Isso não apenas aumenta a produtividade, mas também reduz erros e retrabalho, garantindo maior eficiência e qualidade em todas as etapas da operação.

    “Um exemplo prático é o cadastro de produtos, que pode ser feito rapidamente e gera a informação para toda a rede, facilitando o dia a dia dos vendedores que não precisam perder tempo com essa atividade repetidamente”, explica o diretor.

    3. Melhoria na experiência do cliente

    A satisfação do cliente é prioridade para qualquer empresa de varejo. Com o ERP, é possível acompanhar o histórico de compras, preferências e comportamento dos clientes, o que permite criar estratégias de fidelização mais eficazes e personalizar o atendimento, aumentando o engajamento e a fidelidade do consumidor.

    William Santos explica que todos os insights gerados pelo ERP são baseados nos dados do histórico do cliente, ou seja, são informações personalizadas. “Em uma era em que a identificação entre consumidor e loja é essencial para a fidelização, os dados individualizados facilitam esse processo”, continua.

    4. Controle de estoque preciso

    Para as lojas físicas, a gestão de estoque é fundamental. Com o ERP, é possível monitorar os níveis de estoque em tempo real, prever demandas, evitar rupturas e excessos, garantindo que os produtos certos estejam disponíveis na quantidade adequada, no momento exato.

    A tecnologia funciona como um “raio-x”, permitindo a análise do que vende mais, o que vende menos e quais produtos estão parados. Assim, é possível fazer uma ação direcionada, além de identificar quais produtos são sazonais.

    5. Integração com canais de venda

    O varejo moderno, ou varejo 4.0, não se limita às lojas físicas, mas abrange diversos canais de venda, como e-commerce, aplicativos, marketplaces e até vendas por aplicativo de mensagens. O ERP permite a integração de todas essas plataformas, tornando a gestão omnichannel mais eficiente e proporcionando uma experiência de compra mais fluida para o cliente, independente do canal escolhido.

    Recentes

    Quer receber mais conteúdos como esse?

    Você pode gostar