More

    Reforma tributária impacta protagonismo da malha logística na competitividade do varejo

    spot_imgspot_img

    O alerta foi feito pelo sócio da PwC Brasil, Orlando Dalcin, destacando que o varejo será um dos setores que será mais impactado pela Reforma

    Embora a reforma tributária ainda não tenha entrado em vigor, o consumidor já poderá começar a sentir os primeiros impactos das mudanças em breve. Isso porque com a possibilidade do fim da “guerra fiscal” entre estados, do ponto de vista econômico, estados já começaram a esboçar mudanças e preparações internas nas legislações e os varejistas devem estar atentos às mudanças para alinhar modelos de operação e competitividade de negócio. 

    O alerta foi feito pelo sócio da PwC Brasil, Orlando Dalcin, destacando que o varejo será um dos setores que sentirá mais forte este impacto, a partir da sua malha logística: “Hoje a organização da estrutura de supply chain faz uma diferença enorme para o resultado final das empresas, não só pela operação, mas também por conta da tributação sobre ela aplicada”, explica. 

    Hoje, o ICMS é o principal tributo considerado quando o assunto é eficiência logística. As alterações na cobrança deste tributo só devem começar a partir de 2029 e, pelo menos esta data, o ambiente de tributação estadual ainda deve continuar a ser muito semelhante ao atual. Ainda assim, Orlando Dalcin sugere que empresas comecem a repensar seu modelo logístico desde já. “Quando a reforma for completamente implementada, não haverá mais um ambiente de negócios em que a tributação seja fator determinante para a competitividade”, destaca. 

    Isso porque como um dos pilares da reforma tributária é trazer a neutralidade das operações independentemente de onde elas ocorram, as questões tributárias perdem protagonismo na definição de competitividade e deixam o negócio mais livre para outras estratégias de operação.

    “Existe um risco de mudança no modelo operacional de empresas que atuam no Brasil inteiro e esta avaliação sobre o que repensar da operação deve começar imediatamente”, comenta o sócio da PwC.

    São mudanças que, de acordo com o especialista, poderão movimentar infraestruturas de armazenagem, de centros logísticos e o setor como um todo, alterando completamente a forma como cada empresa atende ao mercado nacional até 2032, quando a reforma estiver totalmente implantada.

    Recentes

    Quer receber mais conteúdos como esse?

    Você pode gostar