More

    Cesta básica do e-commerce recua 4,64% em setembro

    spot_imgspot_img

    Com e-commerce no pano de fundo, pesquisa feita pela Precifica envolveu 13 itens que compõem a cesta básica do Dieese

    Um levantamento feito pela Precifica, empresa especializada em soluções de pricing, como o monitoramento de preços do e-commerce, mostrou que o valor da cesta básica na região metropolitana de São Paulo recuou 4,64% em setembro na comparação com agosto. Com isso, o preço caiu de R$ 643,51 para R$ 613,65. 

    Trata-se da quinta queda consecutiva. De maio a agosto, o índice acumula queda de 9,34% (em maio, houve diminuição de 1,25%; em junho, de 0,88%; em julho, de 5,67%; e em agosto, de 1,54%). O estudo envolveu 13 itens disponíveis em cinco grandes plataformas de e-commerce de empresas supermercadistas que atuam na região. 

    Para efeito de comparação, o IPCA-15, que é uma prévia da inflação divulgada mensalmente pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), registrou deflação de 0,37% no mês de setembro. É importante ressaltar que os números do IBGE envolvem produtos e serviços de diversos segmentos e não somente da cesta básica. 

    No entanto, o resultado obtido pelo instituto aponta na mesma direção do levantamento feito pela empresa especializada em soluções de pricing. Inclusive, o levantamento oficial realizado em todo o país mostra que o grupo “Alimentação e Bebidas” apresentou recuo de 0,47%, sendo que na região metropolitana de São Paulo, o IPCA-15 registrou recuo de 0,94%. 

    A pesquisa da Precifica tem como referência a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) e abrange os mesmos itens adotados pela entidade. A diferença é que a Precifica monitora o preço do sal refinado, mas não acompanha o do pãozinho francês, enquanto o Dieese acompanha o do pãozinho, mas não o do sal. 

    “O custo do frete menor em função da redução dos preços dos combustíveis impacta positivamente os preços dos itens que compõem a cesta básica. Mas não se trata apenas desse fator. Temos de considerar que a política de juros altos do Banco Central para combater a inflação começou a fazer efeito”, comenta o CEO da Precifica, Ricardo Ramos. 

    De vilão a mocinho 

    O leite integral, que vinha apresentando as maiores altas desde maio, foi o produto da cesta básica com maior recuo no preço (-17,4%), deixando de ser o vilão, embora seu preço na prateleira continue elevado para os padrões de consumo da maioria da população.  

    O óleo de soja foi o segundo item com maior redução de preço (-9,1%) e na terceira colocação estão o tomate e o feijão carioca, ambos com queda de 8,2%. Na contramão da deflação aparecem a farinha de trigo e a batata, com alta de 13,6%; a banana, com elevação de 4,1%; e o arroz (+0,9%). 

    A queda da inflação contribui para que os consumidores voltem às compras. O comerciante, por sua vez, precisa ficar atento às mudanças, identificando no momento certo as alterações de preços para que não perca vendas por se manter pouco competitivo em relação à concorrência. Por essa razão, o CEO da Precifica aconselha às plataformas de e-commerce e demais empresas com lojas físicas a implantarem soluções de monitoramento e precificação.  

    “São ferramentas que acompanham em tempo real o comportamento dos consumidores e dos concorrentes. Como as variações de preços ocorrem constantemente, não tem como acompanhar toda a movimentação manualmente. Além disso, não é possível acompanhar de forma precisa sem o uso da tecnologia. Com apoio de soluções de pricing, conseguimos agir de forma rápida na adequação dos preços e até mesmo aproveitar as oportunidades em função das deficiências nos estoques da concorrência”, explica Ramos. 

    Recentes

    Quer receber mais conteúdos como esse?

    Você pode gostar