More

    Black Friday: o caos que faz o varejo pulsar

    spot_imgspot_img

    Conheça as origens do principal evento de marketing do varejo mundial

    Lucas Torres

    [email protected]

    Ainda falta um pouco mais de um mês para a chegada da Black Friday 2022, mas o evento – marcado para o dia 25 de novembro – já movimenta a estratégia dos varejistas brasileiros e, claro, o planejamento e a ansiedade dos consumidores.

    Tamanha adesão da nossa cultura a esta sexta-feira repleta de promoções faz parecer que ela já faz parte do calendário do varejo nacional há muito tempo. A verdade, porém, é que não apenas não faz tanto tempo assim como sua origem tem pouca ligação com as tradições locais.

    Realizada pela primeira vez no Brasil no ano de 2010, a Black Friday nasceu de uma tradição tipicamente estadunidense: o Dia de Ação de Graças, anualmente celebrado na quarta quinta-feira do mês de novembro.

    Aproveitando-se do clima de positividade deste que é um dos feriados mais importantes dos Estados Unidos (EUA), os lojistas começaram – ainda no início do século XX, por volta do ano de 1905, a lançar grandes liquidações na sexta-feira logo após o feriado.

    A estratégia deu muito certo logo de cara e passou a ser refletida em filas quilométricas na porta das lojas.

    Até a década de 1960, a ação ainda carecia de um nome forte o suficiente para consolidar definitivamente como um patrimônio do marketing dos EUA – algo que, diferente do que pode se imaginar, não ocorreu de maneira pensada, mas em um acaso para lá de curioso.

    Associado a eventos calamitosos na cultura norte-americana, o termo ‘Black’ se uniu ao Friday a partir da frustração de policiais da Filadélfia que – frustrados pelo caos causado pela multidão de consumidores ávidos por explorar as promoções da sexta-feira pós Ação de Graças, sentenciaram: “esta sexta é a Black Friday”.

    Apesar da origem negativa do termo, ele era simbólico: algo como uma referência à força dos desejos humanos – fator apontado pelo linguista Benjamin Zimmer como a principal razão para que o slogan fosse nacionalizado e posteriormente exportado entre as décadas de 1980 e 1990.

    Atualmente, Black Friday tem faturamento bilionário ao redor do mundo

    De volta à contemporaneidade, a evolução da Black Friday como um produto de sucesso do marketing do varejo fica evidente quando observamos os números de seu faturamento nos EUA e no Brasil.

    Impulsionado, segundo especialistas, pela popularização do e-commerce durante a pandemia da covid-19, o evento atingiu alguns de seus maiores montantes no ano 2021. Nos Estados Unidos, o faturamento movimentado foi de RS 7,72 bilhões nos Estados Unidos. Já no Brasil, o montante atingiu a casa dos R$ 5,4 bilhões no Brasil.

    Para 2022, a expectativa é que o resultado seja novamente impactante. Afinal, de acordo com pesquisa conduzida pelo Grupo Globo, 80% dos consumidores que adquiriram ao menos um produto durante as promoções do ano passado se afirmaram satisfeitos ou muito satisfeitos com os preços encontrados.

    Recentes

    Quer receber mais conteúdos como esse?

    Você pode gostar