More

    E-commerce brasileiro registra 5,6 milhões de tentativas de fraude em 2022

    spot_imgspot_img

    Especialista da we.digi, consultoria de tecnologia para o mercado de e-commerce, comenta estudo da ClearSale e faz alerta sobre tentativas de fraudes

    Investir na segurança das lojas virtuais é tão necessário quanto em uma loja física. Dados do Mapa da Fraude, estudo realizado pela ClearSale, apontam que o e-commerce brasileiro registrou 5,6 milhões tentativas de fraudes entre o mês de janeiro e dezembro de 2022. Nesse período, foram analisados 312,2 milhões de pedidos no setor.
     

    Felipe Trudes, CEO da we.digi, consultoria de tecnologia para o mercado de e-commerce, analisou os resultados da pesquisa e fala sobre a importância de se alertar para esse problema que segue assombrando lojistas e clientes. “É preciso pensar em plataformas seguras, que não sejam de código aberto, investir em um intermediador de pagamento, definir limites de compras e estudar o padrão de comportamento dos seus consumidores, por exemplo”, afirma Trudes.

     A pesquisa também listou os três tipos de fraudes mais comuns, confira:

    • Fraude efetiva: quando o criminoso utiliza dados de cartões de crédito roubados para fazer a compra;
    • Autofraude: quando o próprio dono do cartão efetua a compra, mas alega, dentro do prazo de 180 dias, que não realizou a aquisição que consta na sua fatura;
    • Fraude amigável: que é feita por parentes ou conhecidos próximos do titular do cartão, porém sem o seu consentimento para a compra.

    Outro dado divulgado que é importante para reflexão e prevenção do e-commerce são os aumentos de casos de fraudes nas datas sazonais, como Dia das Mães (2,5%), Dia do Consumidor (2,2%), Dia dos Namorados (2,1%) e a Black Friday (1%).
     

    “Além da segurança diária que deve ser prioridade no setor, a fim de evitar prejuízos maiores, devemos nos atentar a datas comemorativas que, naturalmente, movimentam o comércio e aumentam a demanda dos fornecedores. Esses são considerados momentos estratégicos de cibercriminosos, já que o volume aumenta e muitos padrões podem passar despercebidos ou sofrerem falhas”, pontua Felipe.

    Recentes

    Quer receber mais conteúdos como esse?

    Você pode gostar