Volkswagen promove Convenção Way To Zero

Em sua primeira Convenção Way to Zero (Caminho para Zero), a Volkswagen detalhou os planos para descarbonizar a empresa e seus produtos. A companhia pretende tornar-se neutra em carbono até 2050. Uma nova marca intermediária são os 40% de redução nas emissões de CO2 por veículo na Europa até 2030 – superando substancialmente o objetivo do grupo de 30% (de 2018). O resultado é que um Volkswagen irá emitir em média cerca de 17 toneladas de dióxido de carbono a menos. Com relação à aceleração da transição para a mobilidade elétrica, a produção (incluindo a cadeia de fornecimento) e operação dos carros elétricos deverá tornar-se neutra em carbono. Isso se soma à reciclagem sistemática das baterias de alta voltagem de veículos elétricos antigos.

Um fator-chave para alcançar a mobilidade elétrica neutra em carbono é poder carregar os veículos consistentemente com energia gerada por fontes renováveis. Realizando isto, é possível reduzir as emissões de CO2 praticamente à metade, em comparação com a atual matriz elétrica padrão da União Europeia. A Volkswagen já oferece hoje aos seus clientes eletricidade verde para carga em domicílio (Volkswagen Naturstrom) e na estrada (nas estações de carga IONITY, por exemplo). A empresa agora está dando mais um passo à frente. A Volkswagen é a primeira fabricante de carros a apoiar diretamente a expansão da energia renovável em grande escala. Assim, novas instalações eólicas e usinas solares serão construídas em muitas regiões da Europa até 2025.

Contratos para os primeiros projetos já foram assinados com a empresa energética RWE. Na Alemanha, a Volkswagen está apoiando a construção de uma usina solar com capacidade total de 170 milhões de kW/h por ano. A usina, em Tramm-Göthen, no nordeste da Alemanha, será concluída no final de 2021 e está sendo construída sem nenhum subsídio estatal. Incorporando aproximadamente 420 mil módulos solares, ela é o maior projeto solar independente da Alemanha.

O plano é que todos os projetos reunidos possam gerar cerca de sete terawatts-hora de eletricidade verde a mais até 2025. O total da eletricidade renovável entrando na grade de fornecimento aumentará paralelamente ao número de veículos ID. Dessa forma, a Volkswagen está melhorando a pegada climática da família ID. e criando a base para a utilização de sua frota elétrica neutra em carbono.

Produção verde e a cadeia de suprimento

Assim como assegurar a utilização verde de seus veículos, a Volkswagen também está trabalhando para descarbonizar tanto a produção como a cadeia de suprimento. Atualmente, a eletricidade usada em todos os locais de produção na Europa já vem de fontes renováveis. A pioneira nesse sentido é a fábrica de carros elétricos de Zwickau, onde a família ID. é produzida. A partir de 2030, todas as fábricas em todo o mundo, exceto na China, devem operar inteiramente com eletricidade verde. No futuro, os maiores geradores de emissões de CO2 na cadeia de suprimento serão sistematicamente identificados e reduzidos. O modelo para isso é a produção das células de baterias para o ID.3(1) e ID.4(2), que já usa unicamente eletricidade verde e, assim, tem uma pegada de carbono substancialmente melhor.

Já este ano, a Volkswagen vai adotar outros componentes sustentáveis em seus veículos ID., incluindo caixas de baterias e aros de rodas feitos de alumínio verde e pneus produzidos com baixas emissões. Há mais de 10 componentes em foco, o que irá permitir reduzir a pegada de carbono da família ID. em cerca de duas toneladas por veículo nos próximos anos. No tocante a novos projetos de veículos, a Volkswagen tornará as emissões de CO2 um critério fundamental na concessão de contratos aos fornecedores. Dessa forma, a empresa pretende trabalhar junto com seus fornecedores para melhorar gradualmente suas pegadas de carbono e assegurar a sustentabilidade de sua cadeia de suprimento. A empresa também está trabalhando numa clara estratégia de descarbonização na produção própria de componentes na Volkswagen Group Components. Assim, as gigafábricas para produção de células de baterias anunciadas no Power Day serão abastecidas inteiramente com eletricidade verde.

A reciclagem sistemática de baterias, que permitirá no futuro o reaproveitamento de 90% das matérias-primas, deve contribuir ainda mais para reduzir as emissões de CO2. O objetivo é um ciclo fechado para a bateria e as matérias-primas que a empresa tem ao seu dispor através do Grupo. A Volkswagen Group Components já está operando a instalação de reciclagem inicial em Salzgitter.

Acelerando a ofensiva elétrica

No coração do Caminho para Zero está a nova estratégia ACCELERATE da Volkswagen, que visa acelerar o ritmo da ofensiva elétrica. O objetivo é a eletrificação total na nova frota de veículos. Até 2030, pelo menos 70% de todas as unidades da Volkswagen vendidas na Europa serão veículos totalmente elétricos – isso significa substancialmente mais de um milhão de veículos. Isso indica que a Volkswagen irá superar de forma significativa as exigências do Acordo Verde da União Europeia. Na América do Norte e China, a participação dos veículos elétricos nas vendas deverá ser de pelo menos 50%. Além disso, a Volkswagen irá lançar pelo menos um novo veículo elétrico a cada ano. Um dia antes da Convenção, a Volkswagen apresentou o ID.4 GTX(3), o próximo modelo da família ID.