Novas soluções aceleram o comércio eletrônico dos EUA

Por Claudio Milan

O comércio eletrônico de autopeças vem crescendo com rapidez nos Estados Unidos e tende a se tornar uma plataforma muito importante. Segundo Steve Flavin, 17% dos clientes da linha automotiva já compraram peças online. “E nós achamos que esse número vai crescer até 30% nos próximos anos, mudando a nossa indústria”.

A expansão pode ser creditada, entre outros fatores, à implementação de soluções que vêm para superar os eventuais entraves históricos ao e-commerce como, por exemplo, a necessidade de receber o produto com rapidez para que o veículo não fique parado. “Temos empresas como a AutoZone que prometem entrega no dia seguinte. E o cliente também pode comprar online e retirar na loja. Outro exemplo é um acordo com o Walmart: muitas pessoas estão comprando online e retirando no Walmart e isso está mudando o mercado”.

De acordo com as informações do executivo durante o Seminário da Reposição, as taxas de crescimento do comércio eletrônico de autopeças têm oscilado entre 38% e 40% ao ano, índices bastante expressivos. “A seleção de itens e marcas é infindável, algumas categorias estão apresentando maior crescimento online; já se vendem, por exemplo, kits de freio montados. E as opções no segmento de acessórios são quase infinitas”. O executivo também mencionou alternadores, tintas e componentes de arrefecimento como produtos em alta no meio digital.

Como um dos catalisadores da transformação aparece mais uma vez a Amazon. “Até maio deste ano a Amazon era responsável por 66% das vendas online de produtos automotivos e o marketplace das redes vem ganhando cada vez mais participação”. Mas, segundo Flavin, outras empresas vêm dedicando cada vez mais atenção ao e-commerce. “Esse crescimento vem de todos os lados”.