E-book orienta empresários do comércio sobre as novas modalidades do PIX

As novas modalidades do PIX (Saque e Troco), disponíveis a partir desta segunda (29), são boas oportunidades para os comerciantes, na avaliação da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). A oferta do serviço possibilitará que os estabelecimentos ganhem mais visibilidade para os seus produtos e serviços. Assim, ao sacar um determinado valor, o consumidor poderá aproveitar a oportunidade e realizar compras no mesmo comércio, uma estratégia para o reúso do dinheiro no local.
 
Outra importante vantagem é que os comerciantes serão remunerados com valores entre R$ 0,25 e R$ 0,95 por transação, a depender da negociação com a instituição bancária de relacionamento. Quando se trata da gestão de numerários, ou seja, a contabilização, processamento e transporte de valores, há ainda o ganho com a redução de custos, como aqueles relacionados à segurança e aos depósitos. Já os usuários, por sua vez, terão mais capilaridade nos pontos de saque de dinheiro físico, além de praticidade nas operações.
 
Com os novos serviços, após fazer um PIX para a conta do estabelecimento autorizado, os clientes poderão retirar o dinheiro em espécie – no caso do PIX Saque, toda a quantia transferida; já no PIX Troco, apenas a diferença do produto ou serviço que estão adquirindo no local. A realização das operações segue dinâmica similar à de um PIX normal, a partir da leitura de um código QR. Se o estabelecimento usar algum tipo de automação no caixa, será necessário verificar se o software já está atualizado para aceitar as opções de saque/troco. Pessoas físicas e empresários individuais não pagarão tarifa para a realização dos serviços até o limite de oito transações mensais. A oferta dos dois novos produtos é opcional para estabelecimentos comerciais e prestadores de serviços.
 
Por segurança, os limites máximos das transações de ambas as funções serão de R$ 500, durante o dia, e de R$ 100, das 20h às 6h. Entretanto, as empresas poderão trabalhar com limites inferiores a estes valores. Os comerciantes que quiserem ofertar as novas modalidades devem aceitar o PIX como forma de pagamento, assinando contrato bilateral com o participante PIX (geralmente, o banco de relacionamento da empresa). Na sequência, devem definir o dia e o horário que oferecerão o serviço, além dos limites mínimos e máximos de saque e se ofertarão valores trocados ou redondos.

E-book

A FecomercioSP produziu um e-book com tudo o que o empreendedor precisa saber para usar o PIX e potencializar os negócios. Confira o material no Fecomercio Lab.