Bateria a base de lítio e enxofre aumenta em cinco vezes a autonomia dos carros elétricos

CPG

Um grupo de pesquisadores da Universidade de Michigan mostrou em paper como uma rede de nanofibras formadas por meio de kevlar reciclado pode resolver problemas ligados à autonomia de carros elétricos. A equipe afirmou ainda que a nova tecnologia permite a produção de uma bateria feita com o uso de lítio e enxofre para a indústria automotiva que pode superar em cinco vezes a capacidade de baterias convencionais.

Diferença da bateria de lítio e enxofre

O professor Nicholas Kotov, líder de pesquisa, afirma que já há uma grande extensão de livros e documentos sobre a boa ciclagem das baterias feitas de lítio e enxofre, entretanto, esses estudos renegam elementos essenciais para a indústria automotiva como segurança, resiliência e taxa de carregamento. De acordo com o pesquisador, o desafio atual é desenvolver uma bateria para a indústria automotiva que, além da autonomia, amplie a taxa de ciclagem dos dez ciclos anteriores para centenas de ciclos e atenda a outros requisitos, como os custos.

A engenharia biomimética dessas baterias para carros elétricos são compostas por duas escalas: molecular e nanoescala. Pela primeira vez então, foi possível integrar a resistência da cartilagem e a seletividade iônica das membranas celulares. O ponto de vista dos cientistas de sistema integrado tornou possível enfrentar desafios de produção da bateria de lítio e enxofre.