Uso do Whatsapp traz riscos ao vendedor

Por Lucas Torres

Embora essa abordagem mais agressiva no ambiente digital tenha se popularizado entre os vendedores do Brasil e do mundo, é fundamental que se tenha cuidado para não ultrapassar a linha que separa um contato mais próximo de uma invasão de privacidade.

Dado muito comum no cadastro de clientes das lojas, o número do celular é, muitas vezes, utilizado por vendedores e lojistas para estabelecer contato via Whatsapp.

De acordo com a Kickpages, empresa especializada em técnicas de lançamento e vendas utilizando redes sociais, no entanto, enviar mensagens via Whatsapp sem pedir a autorização de um cliente pode trazer sequências catastróficas.

“No mínimo, são grandes as chances de ser um contato improdutivo, sem gerar retorno algum. Já na pior das hipóteses, o usuário pode fazer um print, denunciar no Procon e nas redes sociais, o que seria péssimo para a sua reputação”, afirma a empresa.

Outro ponto perigoso para os adeptos da comunicação instantânea da rede social é a quebra da barreira entre o pessoal e o privado.

Para a Omnize, especialista em auxiliar empresas a implementarem atendimento ‘omnichannel’ (unificando todos os canais de comunicação), uma medida indispensável na hora de utilizar o Whatsapp para as vendas é jamais usar sua conta pessoal para atender clientes.

O ideal, segundo a empresa de tecnologia, é adquirir um número que sirva exclusivamente para o atendimento. “Essa separação é essencial para que a pessoa responsável pelo atendimento não se distraia com mensagens de outras naturezas, e também evita confusões, como mandar uma mensagem para a pessoa errada”, analisa a Omnize.