Quatro vetores de mudanças impactarão setor automotivo

Tecnologia, meio ambiente, consumidores e mobilidade urbana compõem o fio condutor para as transformações que já começam a mudar o rumo dos negócios no setor

224

Desruption significa rompimento, mudança radical de rumos, transformação. Nada será como antes. Desruption foi a palavra escolhida por Reynaldo Saad, líder de Bens de Consumo e Produtos Industriais e sócio da Deloitte, para ilustrar o atual momento vivido pelo setor automotivo. O especialista participou em setembro do Seminário da Reposição Automotiva. Na visão de Saad, o processo vem ocorrendo em diversos setores da economia com um todo, inclusive no varejo, que está às voltas com a revolução digital.

Exatamente em razão desse cenário de ruptura e transformação é que a palestra de Saad teve como tema “Estratégias para a retomada dos negócios”. “Eu estou otimista, acredito que com as mudanças políticas que estão ocorrendo, a economia como um todo retomando e o crescimento dos índices de confiança, vamos ter realmente anos melhores daqui para frente – mas não acho que será repetido aquele boom econômico do início da década de 2010”.

Como o objetivo de convidar o setor a parar para pensar de que forma as empresas podem se inserir nesse mundo novo que está vindo – e que não oferece a alternativa do retorno às práticas anteriores –, Saad apresentou as principais tendências que movem o processo disruptivo. “A Deloitte recentemente lançou a última pesquisa da manufatura 4.0, e dentro das grandes mudanças tecnológicas que estão acontecendo no mundo a gente pinçou quatro tendências que, entendo, serão as mais fáceis de perceber no Brasil”. Veja nos quadros a seguir, nas palavras de Reynaldo Saad, quais são elas.