Marcas integradas e mais soluções ao mercado

A integração entre a ZF Services e a TRW Aftermarket resultou no fortalecimento das marcas e expansão de portfólio de produtos e serviços para o mercado de reposição. Nesta edição, conversamos com dois executivos à frente da nova operação, João Lopes, diretor da Unidade de Negócios - Services e Alberto Rufini, diretor da Unidade de Negócio – IAM & OES.

347

João Lopes e Alberto Rufini à frente das novas operações que integram ZF Services e TRW Aftermarket

Novo Varejo – Quais são as inovações tecnológicas aplicadas aos produtos da ZF, especialmente no mercado de reposição?

João Lopes – Com as marcas ZF, Sachs, Lemförder, TRW e Openmatics, a ZF Aftermarket disponibiliza produtos reconhecidos mundialmente por seu alto potencial tecnológico. Entre eles podemos destacar o Conact, um sistema eletropneumático de acionamento de embreagem para caminhões e ônibus com transmissão automatizada. O componente exclusivo ZF soma as funções do mancal de embreagem e sistema de acionamento. Amortecedores para veículos comerciais com tecnologia N-Damper que proporciona melhor resposta a vários tipos de terreno, maior estabilidade e preserva os demais componentes da suspensão. Desenhado para atender as necessidades do sistema de freio ABS, o cilindro de roda de alumínio TRW possui qualidade de usinagem superior e se adapta melhor as necessidades de pulsação que o freio ABS exerce ao ser acionado. Os terminais Lemförder possuem design que proporciona menor atrito e maior durabilidade por dispensar o conjunto mola tradicional. A tecnologia exclusiva da marca substitui esse conjunto por uma articulação em metal borracha. O Openmatics, plataforma mundial de telemetria e gestão de frotas de veículos pesados e de passeio, monitora o desempenho, localização, condução e segurança auxiliando os frotistas a alcançarem suas metas de redução de consumo de combustível e custos. A solução conta com um portal de monitoramento remoto e cobertura mundial, além da função de provedor wi-fi e multimídia.

NV – Que tendências vocês observam para os próximos anos em relação à evolução tecnológica?

JL – Para reparadores e frotistas, acreditamos que seja a manutenção cada vez mais eletrônica e com conectividade com diferentes dispositivos para alertas aos condutores, diagnósticos, informações sobre eventuais falhas, localização de oficinas mais próximas, entre outros. Para fabricantes, distribuidores e varejos, a tendência é a atualização constante de seus portfólios e linhas de produtos. Em paralelo, devem passar a fornecer componentes e serviços com maior nível de tecnologia aplicada. A eletrônica embarcada e equipamentos de diagnóstico como o OBD não só sofisticam o processo como também são desafios para os reparadores independentes.

NV – Quais foram as transformações mais significativas verificadas nos últimos anos?

JL – A obrigatoriedade do Air bag e do ABS foi um grande marco para a história automotiva. A ZF desenvolve sistemas que integram air bags, sistemas de freios, direção, suspensão, cintos de segurança a sensores e componentes eletrônicos para tornar os veículos mais seguros. As transformações incluem a busca por conforto e segurança em automóveis, o que tem levado ao crescente uso de transmissões automáticas, automatizadas e de dupla embreagem. Já em veículos comerciais, buscou-se também a redução do consumo de combustível por meio do uso das transmissões automatizadas e automáticas. O intenso esforço pela redução de consumo e de emissão de poluentes demanda redução de peso de componentes, alcançado com o uso de novos materiais e de otimização de design. A coleta de dados de operação é outra revolução silenciosa. Todos os veículos acumulam – e em alguns casos transmitem – informações sobre operação e localização, o que leva à oferta de serviços especializados. A ZF está presente em todas essas mudanças e se prepara para o próximo salto rumo ao diagnóstico remoto de veículos.

NV – Uma das tendências para mercado de reposição é o comércio eletrônico de autopeças. Essa solução é viável para o mercado de reposição?

Alberto Rufini – O e-commerce no mercado de reposição em países da Europa e EUA é uma realidade consolidada, principalmente pelo acesso às informações de aplicação, chassis de veículos e dados técnicos. No Brasil, muitas iniciativas no sentido de padronização dos dados de aplicação e divulgação destas informações impulsionarão este movimento que é viável e facilitará o acesso da cadeia aos produtos.

NV – Quais ferramentas e ações a empresa desenvolve para se aproximar do varejo e contribuir com a evolução deste segmento?

AR – Além da preocupação em disponibilizar um portfólio completo de peças, a ZF possui equipe de campo para dar suporte ao varejo e seus clientes. A equipe de Call Center também está preparada para repostas rápidas às solicitações. O portal da ZF na internet com os sites de suas marcas traz informação atualizada sobre serviços e produtos além do catálogo eletrônico. A empresa zela pela comunicação com este público. Além de anúncios e suporte da mídia especializada, a ZF América do Sul possui uma página no Facebook, um importante canal com os varejistas.

NV – Que sugestão você daria para o fortalecimento do varejo de autopeças?

AR – O mercado está em constante mudança e o varejo de autopeças é um elo importante para garantir a disponibilização dos produtos aos aplicadores e consumidor final. É preciso estar próximo ao cliente e transformar as informações captadas em ações que agreguem valor ao seu serviço. Definir os parceiros de negócios é outro ponto fundamental para o sucesso destas empresas: a ZF, através de suas marcas Sachs, TRW, Lemförder e Openmatics possui um pacote completo de produtos e serviços à disposição do Varejo.