Fiat-Chrysler e Peugeot anunciam fusão

Os grupos Peugeot S.A. (PSA) e Fiat Chrysler Automobiles (FCA) anunciaram a fusão das empresas no dia 31 de outubro. Com essa confirmação, a união das companhias se tornará a quarto maior montadora de automóveis do mundo, ficando atrás apenas de Volkwagen, Toyota e Renault-Nissan-Mitsubishi.

O acordo anunciado prevê que cada grupo fique com 50% da nova companhia, que deverá ser sediada na Holanda. A fusão deixa a nova denominação com um valor de mercado de US$ 50 bilhões e vendas estimadas de 8,7 milhões de carros por ano.

A fusão não irá provocar o fechamento das fábricas pertencentes aos grupos PSA e FCA, e ainda deve economizar um montante de US$ 4,1 bilhões para a nova empresa que será formada.

“O plano de combinar os negócios dos grupos PSA e FCA seguiu intensas discussões entre os gerentes seniores das duas empresas. Ambos compartilham a convicção de que existe uma lógica convincente para uma jogada ousada e decisiva que criaria um líder do setor com escala, capacidades e recursos para capturar com sucesso as oportunidades e gerenciar efetivamente os desafios da nova era da mobilidade”, afirma o comunicado sobre a fusão.

O conselho da fusão será composto por 11 membros. Cinco membros serão nomeados pela FCA (incluindo John Elkann como Presidente) e cinco serão nomeados pelo grupo PSA (incluindo o Diretor Independente Sênior e o Vice-Presidente). O Diretor Presidente será o português Carlos Tavares por um mandato inicial de cinco anos.

O novo grupo irá albergar uma quantidade grande de marcas. Do lado da PSA serão Peugeot, Citroen, DS, Opel e Vauxhall. Enquanto isso, a FCA contribuirá com Fiat, Chrysler, Alfa Romeo, Abarth, Dodge, Jeep, Lancia, Maserati e RAM.