Autonor recebe 38 mil visitantes

60

Feira realizada em Pernambuco contou com a participação de 700 marcas expositoras e gerou, numa primeira avaliação, 42 milhões em negócios

Claudio Milan

claudio@novomeio.com.br

A diversidade marcou a formação da nação brasileira ao longo de seus mais de cinco séculos. Este caldo social e cultural rico se estende a cada um dos 26 estados que compõem o país, respeitando, naturalmente, características locais em geral resultantes das diferentes ondas migratórias ocorridas ao longo de nossa história.

Pernambuco não deixa de ser uma síntese do próprio Brasil. Colorido, alegre e heterogêneo, o estado foi construído a partir das tradições trazidas por portugueses, italianos, espanhóis, árabes, judeus, japoneses, alemães, holandeses e ingleses, que se fundiram às fortes influências africanas e indígenas.
Uma das estrelas do nordeste, Pernambuco exibe riquezas naturais, uma economia em expansão e um atraente potencial de mercado para o setor automotivo. Com população estimada em 9,4 milhões de habitantes em 2017, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas, o estado conta – também conforme o IBGE – com uma frota de 2,8 milhões de veículos, sendo 1,2 milhão de carros de passeio, o que resulta 7,8 habitantes por automóvel. Cerca de 80,2% dos habitantes moram em zonas urbanas.

Os atrativos do mercado pernambucano – assim como da região nordeste como um todo – há muito tempo vêm merecendo a atenção das empresas do aftermarket automotivo, conforme é possível constatar a cada dois anos na Autonor que, em alternância com a cearense Autop, reúne as principais empresas e entidades do setor promovendo uma valiosa vitrine de produtos e serviços que contribuem decisivamente para a evolução dos empresários e profissionais que atuam na reposição automotiva. O sucesso de público e expositores mostrou que em 2017 não foi diferente.

 

Dados gerais das empresas comerciais de Pernambuco, segundo a divisão de comércio

Período de referência: 2015 (indicadores mais recentes disponíveis)

Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Pesquisa Anual do Comércio. Nota: (1) Receita líquida de revenda menos o Custo de mercadoria vendida.