AUTOMEC 2017 FAZ EDIÇÃO HISTÓRICA

387

Os corredores do pavilhão da São Paulo Expo Exhibition & Convention Center onde aconteceu a AUTOMEC 2017 estiveram lotados durante todos os dias do evento. “Foi uma edição histórica” avaliaram expositores e as entidades do setor que apoiaram a 13ª Feira Internacional de Autopeças, Equipamentos e Serviços, encerrada no último sábado, dia 29 de abril. A AUTOMEC é a principal plataforma de negócios da América Latina voltada à indústria da Reposição e Reparação Automotiva para veículos leves, pesados e comerciais. Neste ano, houve recorde de visitantes logo na abertura do evento, e a tendência se manteve até o último dia. Esta edição recebeu o total de 74.252 visitantes, superando assim a expectativa da Reed Exhibitions Alcantara Machado, organizadora da Feira, que era de 70 mil pessoas.

De acordo com Paulo Octavio Pereira de Almeida, vice-presidente da Reed Exhibitions, as marcas que apostaram no sucesso da AUTOMEC 2017 puderam comemorar os números positivos neste balanço final. As mais de 1500 marcas em exposição receberam compradores de todo o Brasil e de mais de 60 países e realizaram importantes negócios, que movimentarão o mercado nos próximos meses.  Somente nos Encontros de Negócios foram realizadas mais de 130 reuniões com a participação de 60 expositores e 80 compradores. “Os números desta edição são superlativos e fazem da AUTOMEC a mais importante feira de negócios da América Latina”, acrescenta Paulo Octavio.

O clima de otimismo esteve presente nos estandes da AUTOMEC em todos os setores do evento, que foi dividido em Acessórios e Customização, Reparação e Manutenção, Serviços e TI. “A AUTOMEC 2017 promoveu um excelente ambiente de negócios com público qualificado. Está muito profissional e é possível sentir o otimismo”, afirmou Sergio Montagnoli, diretor de Marketing e Vendas da Nakata. Na mesma linha, o vice-presidente da divisão Automotive Aftermarket da Robert Bosch para a América Latina, Delfim Calixto, afirmou que esse clima positivo favorece as perspectivas de crescimento dos negócios de reposição automotiva para este ano. “Desde o primeiro dia da Feira foi possível concretizar negócios”, revelou. Para Calixto, outro ponto importante foi a setorização dos estandes por segmentos, pois além de facilitar a localização das marcas para os visitantes, também valorizou as empresas.

“Esse otimismo mencionado pelos expositores se explica por alguns fatores da conjuntura do país, que apesar de atravessar um período de baixo desempenho econômico, têm tido importante crescimento no segmento de reposição e reparação automotiva. De um modo geral, as pessoas não podem comprar um zero quilômetro, mas precisam cuidar da manutenção e do reparo do seu veículo atual, e isso impulsiona as vendas no segmento”, avalia Leandro Lara, diretor de Eventos da Reed Exhibitions Alcantara Machado.

O mercado de reposição, que abrange uma cadeia composta por fabricantes, distribuidores, varejo e oficinas, cresce em média 4,8% ao ano e deve movimentar em 2017 R$ 121 bilhões, até 2020 estima-se chegar a R$ 142 bilhões, segundo dados do Grupo de Manutenção Automotiva (GMA) composto pelo Sindipeças (Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores), Sindirepa (Sindicato da Indústria de Reparação de Veículos e Acessórios do Estado de São Paulo), Sincopeças (Sindicato do Comércio Varejista de Peças e Acessórios de Veículos), Sicap (Sindicato do Comércio Atacadista, Importador, Exportador e Distribuidor de Peças Rolamentos, Acessórios e Componentes para Indústria e para Veículos no Estado de São Paulo) e Andap (Associação Nacional dos Distribuidores de Autopeças).

EXPOSITORES E VISITANTES DESTACAM A EFETIVIDADE NA GERAÇÃO DE NEGÓCIOS E A POSIÇÃO DA AUTOMEC COMO MAIOR EVENTO B2B DO BRASIL

“A AUTOMEC quebrou paradigmas, oferecendo maior suporte que permitiu gerar mais conteúdo, bem como garantiu a presença de um número maior de varejistas com a realização das Caravanas de Compradores. Com isso, acredito que crescemos a presença do varejista na Feira, chegando a 25% do total de visitantes”, avaliou o presidente do Sincopeças, Francisco De La Tôrre.

“A edição 2017 da AUTOMEC superou as nossas expectativas em todos os aspectos”, exultou José Roberto Alves, diretor-geral da Federal-Mogul. Da mesma forma, Fernanda Giacon, gerente de Marketing América do Sul, da ZF, patrocinadora oficial da AUTOMEC, afirma que o evento foi “um divisor de águas” marcando efetivamente a retomada do crescimento do setor. “O clima positivo da Feira começou bem antes, já na comunicação com o mercado e nas redes sociais. Estamos surpresos com a quantidade de pessoas, mesmo no primeiro dia do evento. Nosso estande esteve cheio todos os dias”, afirmou.

Ela também elogiou a qualificação do público e a reunificação das linhas leves e pesadas, pois, segundo Fernanda, permitiu que a ZF pudesse mostrar aos seus clientes todo o seu pacote de produtos e serviços. A impressão da gerente quanto ao público vai ao encontro de levantamento realizado pela Reed Exhibitions, em que houve crescimento de 16%, em relação à ultima edição, do número de visitantes com efetivo poder de compra e decisão. Estamos falando de profissionais como gerentes, diretores, presidentes e proprietários de empresas.

De acordo com o diretor de Vendas da Dana, Carlos Dourado, a unificação da Feira proporcionou uma elevação significativa na qualificação do público. “Os próprios donos e diretores de empresase lojas estiveram em nosso estande, permitindo o estreitamento muito mais forte nos relacionamentos”. E completou: “A edição da AUTOMEC deste ano foi a mais importante de todas já realizadas para a Dana”.

Para a Alfatest a volta no mesmo espaço das linhas de leves e pesados significou mais negócios fechados. “Estar na AUTOMEC representa, normalmente, 20% do faturamento de um mês. Não costumamos fechar negócios dentro da Feira, mas maio, por exemplo, vai começar com um prospecto muito maior de vendas por estarmos aqui. Mesmo assim, ao menos R$ 250 mil já devemos ter faturado, em pedidos fechados”, informou o gerente comercial Raffaele Ventieri Neto.

“Nossa presença é institucional dentro da Feira, mas acabamos fazendo negócios dentro do pavilhão, também”, ressaltou Luis Abilio Marques, coordenador de Trade Marketing da Gedore. O executivo também considera a reunificação uma “decisão positiva, pois os eventos isolados perdem força”.

EVENTO MOSTRA SUA EXPRESSÃO INTERNACIONAL

O presidente do Sindirepa Nacional, Antonio Fiola, também avalia que a AUTOMEC 2017 virou um “marco” no setor pelos números positivos e pela reunificação de leves e pesados. Para ele “mostrou a pujança e a grandeza do setor e da cidade de São Paulo que sediou este evento de porte internacional, com uma programação intensa de atividades”. O aspecto internacional da Feira também foi destacado pelo presidente interino da Andap, Rodrigo Carneiro. “A AUTOMEC retoma a posição como um evento de expressão internacional e com a devida importância em relação ao impacto econômico no mercado de reposição, sendo uma das melhores edições de todos os tempos”.

A AUTOMEC recebeu visitantes de mais de 62 países, principalmente da América Latina. Foram cerca de 9 mil estrangeiros vindos dos países latino-americanos, 1.500 a mais que da última edição. Da Argentina, por exemplo, houve crescimento de 50% de visitantes, do Uruguai 20%, México 100% e Peru, 70%.De todos os visitantes internacionais, 20% vêm da Europa, Ásia, Países Árabes e América do Norte. “Recebemos clientes de todas as partes do Brasil e também de outras localidades, incluindo Estados Unidos e Europa, o que mostra o alcance da feira”, confirmou o diretor Comercial da Motorservice, Luis Lipay.

Entre os expositores, a presença estrangeira também foi significativa. Um dos países que ocuparam maior espaço foi a Argentina, que participou da Feira com mais de 40 empresas do setor. O Brasil é o maior mercado de autopeças para a Argentina, com 58,6% das exportações, segundo a Agência Argentina de Investimento e Comércio Internacional.Para a Taranto Brasil, estar na feira foi a opção ideal. “Como somos uma marca argentina, tivemos muitos visitantes de países da América Latina, da Europa e também de todo o Brasil, com interesse em nosso portfólio, que foi ampliado com novas linhas de produtos.O evento sempre gera oportunidades de negócios”, afirmou Jurandir Defani, diretor geral.

No pavilhão da Itália, organizado pela Italian Trade Agency (ITA) – agência do governo responsável pela internacionalização de empresas italianas –estiveram pelo menos 14 empresas com tecnologias para automóveis, veículos comerciais, implementos rodoviários e caminhões. “O Brasil tem um excelente potencial de consumo e está entre os principais importadores da Itália”, informou Erica Di Giovancarlo, diretora do ITA para o Brasil.

ENCONTRO DE NEGÓCIOS REALIZOU 130 REUNIÕES

A AUTOMEC tem se firmado cada vez mais como ambiente de negócios no que se convencionou chamar Business to Business (B2B), um local onde haja produtivos encontros entre expositores e compradores visitantes. Dentro desse ambiente, destacaram-se as 10 Caravanas de Compradores, em parceria com Sincopeças e Sindirepa, vindas das cidades de Campinas, Americana, Ribeirão Preto, Santos, Bauru e São José dos Campos, do estado de São Paulo e Ponta Grossa e Toledo, do Paraná. Outra iniciativa importante foi o Encontro de Negócios, onde ocorreram 130 reuniões com a participação de 60 expositores e 80 compradores.

Além dessas duas atividades, o Premium Club Plus – Programa de Compradores, que é um local para receber compradores selecionados pela organização da Feira, indicados pelos expositores convidados, a fim de facilitar a geração de negócios. Neste ano, houve a participação de 1.000 compradores, convidados por 100 expositores e pela organização do evento.

 ATIVIDADES NA ARENA DO CONHECIMENTO SOMARAM 40 HORAS DE CONTEÚDO

Um dos pontos altos da Feira, o compartilhamento de experiências, de conhecimentos e atualização profissional, presentes na Arena do Conhecimento e Capacitação foi responsável por 40 horas de conteúdo em palestras e exposições com temas técnicos.

 OFICINA MODELO FAZ CUSTOMIZAÇÃO AO VIVO E LOJA MODELO ESTREIA COM SUCESSO

 A Oficina Modelo Automec, liderada pelo restaurador e customizador Fernando Baptista – o Batistinha – fez um processo completo de customização de um Volkswagen Up! TSI prata Sirius, da desmontagem do carro, passando por pintura, trabalhos de solda, nova suspensão, sistema de som, remontagem e acabamento. Compõe o time de patrocinadores da Oficina Modelo a Rotary, DMC Brasil, Motul, Ravaglioli, Wimpel, Chief e Revolution, com apoio da AkzoNobel, Alumaq, Walter, Norton, Beta e VSG.

As atividades também incluíram uma série de palestras gratuitas, abordando temas como “Produtividade em Gestão de Ferramentas”; “Aplicação das novas tecnologias na troca do óleo de motor”, “Como obter durabilidade e performance”; “Sustentabilidade na oficina: novos caminhos para evitar impacto ambiental”; entre outros.

Pela primeira vez, a AUTOMEC apresentou aos visitantes a Loja Modelo, espaço criado em parceria com o Sincopeças  e o SEBRAE. Mauricio Golfette de Paula, consultor de Negócios do serviço voltado a micro e pequenas empresas, explicou que um dos trabalhos realizados na Loja foi apresentar aos interessados como se faz um diagnóstico dos estabelecimentos, levando em consideração finanças, vendas, e outros itens que o empresário sente necessidade de melhorar.

JOVENS PROFISSIONAIS RECEBEM CERTIFICADO NA AUTOMEC

Como parte da proposta de levar conteúdo qualificado e promover a troca de conhecimentos técnicos, princípios adotados pela Reed Exhibitions e pelos seus parceiros, alunos do SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) formados no 1º curso “Técnicas de Manutenção em Sistemas Mecânicos de Veículos Leves”, receberam seus certificados como parte do programa Mecânicos do Futuro. O curso é uma iniciativa pioneira da Reed Exhibitions e do SENAI, que capacitou 16 jovens profissionais a realizar manutenções preventivas e corretivas de sistemas mecânicos automotivos de veículos leves.

ENCONTRO LATINO-AMERICANO DISCUTIU TENDÊNCIAS PARA PROFISSIONAIS DE RETÍFICAS

Durante a AUTOMEC aconteceu também o Primeiro Encontro Latino Americano de Retificação de Motores – Rectilatina, que reuniu empresários de diversos países como Uruguai, Argentina, Paraguai, Panamá, Colômbia, entre outros, para discussão do tema “A Integração da Retificação Latino-Americana Perante os Novos Paradigmas de Tecnologia Disruptiva no Mundo”. Para Omar Ricardo Chehayeb, diretor-executivo do Instituto Internacional de Estudos da Mobilidade, as tecnologias disruptivas também chegarão ao mercado de retificação, e os profissionais devem buscar caminhos alternativos para manter suas atividades.

“Há poucos anos, acreditava-se que o futuro pertencia aos automóveis híbridos, mas nos mais recentes Salões do Automóvel, as principais montadoras têm apresentado protótipos de carros exclusivamente elétricos. O novo modelo S da Tesla [carro 100% elétrico] vendeu 180 mil unidades em um fim de semana, diretamente no site da marca, o que representa uma mudança de paradigma também na hora de comprar os automóveis. As pessoas estão começando a visitar o carro na loja, mas a fechar o negócio online”, avaliou o especialista, que também é diretor de Relações Internacionais do Conarem – Conselho Nacional de Retífica de Motores.

Ainda dentro do escopo de atividades paralelas que aconteceram na AUTOMEC 2017 destacam-se: Ilha da Funilaria e Pintura, Manhã Tecnológica SAE Brasil, Mecânico Experience e Fórum Sincopeças.

O sucesso da AUTOMEC 2107 ajudou a consolidar a realização da próxima, a ser realizada entre os dias 23 a 27 de abril de 2019, uma vez que 80% dos contratos já foram fechados e mais de 70% das empresas já confirmaram sua participação na AUTOMEC 2019.